segunda-feira, 13 de agosto de 2012

A IMPORTÂNCIA DE PIRACICABA NA REVOLUÇÃO DE 1932



Reunião solene no salão nobre da Câmara, Helly de Campos Melges, na manhã de hoje (09/07/06), às 10h00 contemplou ex-combatentes da Revolução de 1932, conforme propositura do vereador João Manoel dos Santos (PTB). 



Mais de 100 pessoas, entre autoridades, políticos e representantes de entidades compareceram ao evento, onde a Câmara agraciou com diplomas representantes familiares e ex-combatentes, totalizando 10 homenageados: Antonieta Righetto, Oscar Bressan, Octávio Bacchin, Antonio Zaghi, Joaquim Moreno, Sebastião de Arruda, Romeu de Oliveira, Miguel Senden, Luiz Bortolan e Armando Alves.

O evento também comportou homenagem póstuma ao ex-soldado constitucionalista Walter Accorsi, onde foi exibido vídeo com sua fala na reunião solene do ano passado.

No vídeo, Accorsi deixou registrado fatos relevantes da revolução que fala do momento único na história de Piracicaba, onde o povo participou integralmente da luta ao dar guarida aos revolucionários.
Também falou das condições duras do fronte de batalha, onde tinham que ficar no chão duro, dias e dias, em meio à miséria, aos carrapatos e outras intempéries da natureza, vivendo como selvagens.
Accorsi falou da cooperação fantástica de Piracicaba no fornecimento de gêneros de primeira necessidade, como comida e roupas. Citou o nome de Branca de Azevedo, uma senhora idosa que não se conformava de ver jovens vagando à toa, sem estarem empenhados na revolução. Que vão botar saia, dizia a estes jovens.

Accorsi também falou da família de Diehl Netto e de Otávio Teixeira Mendes que inventou um tipo de matraca, instrumento de metal que imitava o som de uma rajada da metralhadora, que foi utilizado para afugentar inimigos.

Ainda comentou sobre o baiano Eduardo Catalão, proprietário de uma fazenda no Sul da Bahia, que numa certa altura responde à voz de um grupo de soldados do outro lado da trincheira e, reconhece serem seus empregados da fazenda.

Accorsi também registra a defesa da soberania nacional na Constituição promulgada dois anos após a Revolução. Considerou a participação da Escola Normal de Guaratinguetá onde piracicabanos fizeram parte da cúpula revolucionária.

Finalizou suas considerações ao comentar sobre os sofrimentos nos mais de três meses sem amparo e nenhum conforto. E, falou dos infortúnios causados por um avião vermelho que lançava bombas mesmo com o recuo das tropas, onde todos tinham que se jogar no chão.

Accorsi também falou da inteligência do filho do Dr. Samuel Neves e, destacou o ato de civismo de Piracicaba que serve de orgulho para o Estado de São Paulo e a nação brasileira.

O autor da solenidade, o vereador João Manoel dos Santos enfatizou a importância da união dos poderes como forma de resgate histórico deste momento em que o Estado de São Paulo se voltou contra o poder de Getúlio Vargas.

João Manoel também defendeu a criação de uma associação dos ex-combatentes como forma de evitar que as comemorações se enfraqueçam no decorrer dos anos.

O trabalho da comissão se pautaria em visitas às escolas para mostrar a importância da revolução de 32. O processo garantiria o despertar de consciência do civismo das futuras gerações.

O representante do presidente da Câmara, Gustavo Ranzani Herrmann (PSB), o vereador Eulcides Buzetto (PT) presidiu a solenidade. Destacou a primeira fase do governo Getúlio Vargas, que foi marcada pela ditadura e, destacou a importância do ex-governador do Estado de São Paulo, Mário Covas (PSDB) em garantir o feriado de 9 de julho.

Buzetto também falou da importância da realização dos eventos cívicos e, lamentou a ausência de religiosos e do Poder Judiciário nas comemorações da Revolução de 32, que aconteceram na Praça José Bonifácio e na Câmara.
O vereador Euclides Buzetto encerrou suas considerações ao reconhecer a importância da sugestão de João Manoel na criação de uma comissão específica
para dar continuidade aos eventos alusivos à Revolução de 32.
E, falou da apresentação especial que a Banda da Guarda Mirim fará no Teatro Municipal, Dr. Losso Netto, no próximo dia 12 de julho, às 19h30.
A Banda da Guarda Mirim, sob a regência do Maestro Luiz Carlos Alves garantiu a parte cultural da solenidade.

Também compuseram a Mesa Diretiva da solenidade, o presidente do Sindicato dos Comerciários, Roberto Previde; o delegado seccional da Polícia Civil de Piracicaba, Luiz Pereira e o representante do 10.º Batalhão da Polícia Militar, o tenente Rodolpho Hoff Júnior, que prestou uma homenagem pessoal aos ex-combatentes ao ler o poema inscrito no monumento ao Soldado Constitucionalista, exposto na Praça José Bonifácio, onde o poeta fala da glória piracicabana dos que lutaram pela liberdade.

A cerimônia que lembra a Revolução de 1932 também assegurou a deposição de flores no monumento do Soldado Constitucionalista num evento, às 9h, na praça José Bonifácio.
O presidente da Comissão Municipal de Eventos Cívicos, o ex-vereador Moacir Nazareno Monteiro (PSDB), além de garantir a realização da solenidade na praça, também hasteou a Bandeira de Piracicaba, ao lado do prefeito municipal Barjas Negri (PSDB) e o vereador João Manoel dos Santos, no hasteamento da bandeira do Brasil e do Estado de São Paulo.

                                                     História

A data é feriado estadual, criada pela lei 9.497/97, do ex-deputado Guilherme Gianetti, e sancionada pelo ex-governador Mário Covas.

As comemorações do 9 de Julho, em Piracicaba, são realizadas em parceria com a Câmara de Vereadores. O ato visa resgatar o civismo e ser exemplo de cidadania principalmente para a juventude.

Na praça, além do hasteamento dos três pavilhões, também são colocadas flores no monumento do Soldado Constitucionalista.

O dia 9 de julho lembra a eclosão em São Paulo da revolta contra o presidente Getúlio Vargas e seu governo provisório.

Tropas federais foram enviadas para conter a rebelião. As forças paulistas lutaram contra o exército brasileiro durante três meses.

Essa luta armada ficou conhecida como a Revolução Constitucionalista de 1932. Onde surgiu a sigla M.M.D.C., acrônimo (grupo de palavras) pelo qual se tornou conhecido o levante revolucionário paulista, em virtude das iniciais dos nomes dos estudantes paulistas Martins, Miragaia, Dráusio e Camargo, mortos pelas tropas federais num confronto ocorrido em 23 de maio de 1932, que antecedeu e originou a Revolução Constitucionalista de 1932


Nota: A publicação acima é relativa à reunião solene contemplando os ex-combatentes piracicabanos de 32 realizada em 9 de julho de 2006 em que postamos agora em nosso blog visando reafirmar e mostrar o verdadeiro significado desta revolução para os piracicabanos quando ainda estavam vivos entre nós 10 veteranos contando com uma homenagem póstuma ao valoroso soldado Dr. WALTER RADAMÉS ACCORSI em que deixa valioso vídeo registrado sobre a histórica participação de Piracicaba na luta constitucionalista.
Hoje, infelizmente, estamos mais órfãos, em que havemos entre nós tão somente dois irmãos e heróis partícipes piracicabanos que são os senhores ROMEU GOMES DE OLIVEIRA (na foto acima, o 1º da esquerda para à direita) e ISCAR ANTONIO BRESSAN (na foto, o 4º da esquerda para a direita), mas, como diz com propriedade o nosso ínclito e visionário Presidente da Sociedade dos Veteranos de 32, Sr. Cel Mário Fonseca Ventura em respeito ao que se foram "O consolo é que irão se encontrar com os muitos milhares de veteranos que já se encontram em companhia do Senhor. Mas deixaram-nos um grande legado, razão pela qual continuamos a lutar".

Nenhum comentário: